Notícias



  • 04 Feb 2023
  • Comentarios
TERMINOU EXERCÍCIO OBANGAME EXPRESS 2023

Luanda –  O Exercício militar  Obangame Express 2023 que decorreu de 23 de Janeiro, a 02 de Fevereiro , terminou com  a realização  de uma cerimónia oficial de encerramento, decorrida nesta sexta-feira (3), na Base Naval de Luanda, sob orientação do Estado-Maior da Marinha de Guerra Angolana (MGA), Vice-Almirante Manuel Ferreira de Jesus.

 

Ao intervir no acto, em representação do Comandante da MGA ,Vice- Almirante , Manuel de Jesus afirmou que o Exercício  teve como objectivo melhorar a segurança marítima, no Golfo da Guiné e no Oceano Atlântico.

 

A manobra militar Obangame Express 2023, decorreu em simultâneo em todos os países que fazem parte da arquitetura de Yaoundé (Camarões), cuja sede e o Estado Maior está  baseada em Lagos, Nigéria.

 

O dirigente informou que no Exercício, este ano, participaram 27 países de de África, quatro da Europa e três da  América .

 

Por sua parte, o porta-voz do Exercício, Capitão de Corveta José Prazeres Baba explicou que a manobra visou exercitar os acordos internacionais, inter-regionais e regionais, bem como o código de conduta de Yaoundé, no âmbito da segurança marítima no Golfe da Guiné.

 

De acordo com  o porta-voz, os resultados do Exercício foram alcançados na ordem de 100 por cento das acções planificadas pela organização .

Foram realizadas manobras militares em terra e no mar. Angola participou com efectivos da  Força Aérea Nacional, Polícia Nacional, do Serviço de Migração e Estrangeiro,  ministério da Saúde, entre outros.

Saiba mais
  • 14 Oct 2022
  • Comentarios
CHEFE DE ESTADO ANGOLANO RECONHECE EXPERIÊNCIA DO...

Luanda - O Presidente da República e Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Angolanas, João Lourenço, reconheceu  esta sexta-feira, a experiência profissional do novo Comandante da Marinha de Guerra Angolana (MGA), Almirante Valentim Alberto António. 

O Chefe de Estado angolano que falava no acto de posse do responsável máximo deste Ramo militar das FAA, disse que o Almirante Valentim António é “um quadro experiente, com uma carreira invejável”.

O Presidente João Lourenço, reafirmou o empenho do Executivo em conferir a Marinha de Guerra Angolana  uma capacidade naval operacional suficiente, e colocá-la ao nível dos desafios do momento face à longa costa  marítima que o país possui.

"Contamos consigo no projecto de reequipamento da Marinha, com vista a colocá-la à altura dos grandes desafios de um país que tem milhares de quilómetros de costa marítima", referiu .

Ainda hoje ( sexta-feira) , o Comandante da MGA foi apresentado  aos quadros e efectivos do Ramo no Comando daquela instituição militar, em acto orientado pelo Chefe do Estado-Maior General Adjunto das Forças Armadas Angolanas para Educação Patriótica, General João António Santana .

O novo Comandante da Marinha de Guerra Angolana foi nomeado no passado dia 10, por decreto presidencial.

O  Almirante Valentim António substituiu o General  Jorge Manuel dos Santos “Sukissa”, falecido por doença,  em Julho passado .

Saiba mais
  • 08 Jul 2022
  • Comentarios
REGIÃO NAVAL NORTE TERÁ NOVAS INFRAESTRUTURAS DE...

O Executivo angolano está a reforçar a capacidade operacional da Marinha de Guerra Angolana dotando-lhe com meios navais e infraestruturas capazes de garantir uma uma maior prontidao combativa .

O objectivo segundo fontes oficiais é assegurar melhor a vigilância maritima e a defesa da soberania das águas nacionais. 

Na sequência do reforço da capacidade operacional da MGA, a Base Costeira do Soyo vai ter um novo cais que receberá navios de guerra de grande porte cujas obras de raiz encontram-se  em fase avançada.

O perimetro da base  que foi ampliado, as obras de requalificação  contemplam também gabinetes e alojamentos para o efectivo.

A construção do cais e a requalificação da Base Costeira do Soyo está a ser executada na província do Zaire e tem como principal objectivo dotar as Forças Armadas Angolanas , com infraestruturas modernas com padrões de qualidade.

A nova Base Costeira do Soyo terá um novo  comando ,  centro de vigilância marítima, comando das esquadrilhas, escolas, bem como um cais com três pontes de acostagem.

Contará também com alojamento para Oficiais, Sargentos, Praças e para as esquadrilhas.

O projecto contempla ainda a reabilitaçao do antigo comando da região assim como o edifício do Estado-Maior e uma enfermaria.

A actual Base Naval é constituída na sua maioria por infraestruturas construídas na década de 60 e 70 e, que já não apresentam  condições necessárias.

Para além dos edifícios existentes se revelarem  também inadequados para uma unidade de apoio, às operacoes navais e a base naval .

Para o Representante da Marinha de Guerra Angolana junto da Mota-Engil Angola, empresa que executa as obras da futura Base Costeira do Soyo, Tenente-de-Navio engenheiro Evaristo Campos Cahombo, é uma obra de grande envergadura para as Forças Armadas Angolanas e, em particular, para a Marinha que servirá para a satisfação de todos efectivos e não só.

A conclusão das obras  estão previstas para 2023. A  1ª fase da estará concluída este ano . A infraestrutura está ser erguida numa área  de 130 mil metros quadrados.

Saiba mais
  • 03 Jun 2022
  • Comentarios
LOBITO GANHA CENTRO REGIONAL DE VIGILÂNCIA MARÍTIM...

A Região Naval Sul  foi contemplada com um Centro Regional de Vigilância Marítima e três Centros Radiotécnicos de Observação Costeira (CROCs).

Os meios juntam-se  aos já existentes num total de sete.

Com a instalação  destes sistemas as  missões de vigilância marítima serão mais eficientes na  componente operacional para o patrulhamento e garantia da segurança  do  espaço marítimo nacional.

Em  declarações à Imprensa, o Comandante da Região Naval Sul, Vice-almirante Tomás Felgueiras Neto, enalteceu o esforço do Executivo pelo investimento  que garante maior capacidade de cobertura operacional no plano da vigilância marítima, com realce para o combate a imigração  e pesca ilegal.

O Comandandante, garantiu que o investimento realizado na região poderá estender-se à requalificação das antigas instalações que pertenciam a ex-EPAM, actual Academia Naval que funciona em instalações provisórias em Luanda desde 2011.

“Estamos muito bem na execução física, mas devido a dificuldades financeiras, sentimos alguns atrasos.  Se tivermos  garantias financeiras, será  possível em três meses termos  a obra terminada em Junho do corrente”, referiu.

O Vice-almirante Tomás Felgueiras anunciou também, a construção de um estaleiro naval a ser erguido na cidade do Lobito província de Benguela.

“Uma vez construído e instalado o equipamento no  futuro estaleiro, as revisões e reparações dos navios estarão  muito mais facilitados”.

Em relação ao melhoramento da dieta alimentar das tropas, o responsável militar informou que o Comando apostou na granja do Culango onde  se desenvolve agricultura, tendo neste momento 2,5 hectares preparados para o cultivo de cebola e tomate que serão colhidos dentro de três meses.

Já no campo da agropecuária, a produção conta com mais de 100 cabeças de gado e mais de 30 caprinos.

Saiba mais