Mensagem do Comandante

Seja bem-vindo ao Portal da Marinha de Guerra Angolana. Uma janela que permite ter o primeiro contacto com a nossa instituição, de forma digital. continuar a ler


General Jorge Manuel dos Santos
COMANDANTE DA MARINHA DE GUERRA ANGOLANA

Últimas Notícias

Veja abaixo

  • 16 Oct 2021
  • Comentarios
DIRECÇÃO DA ACADEMIA NAVAL DA MGA EMPENHADA NAS OR...

 

Luanda - O Comandante da Academia Naval, Vice-almirante Domingos Francisco Miranda, afirmou recentemente, em Luanda, que a direcção da Academia Naval da Marinha de Guerra Angolana ( MGA) está empenhada a trabalhar com vista  dar respostas satisfatórias as orientações do ministério do Ensino Superior Ciência e Tecnologia .

Ao discursar na cerimónia que marcou a  abertura do ano Académico 2021/2022, na Academia Naval, ocorrido no passado dia 8 de Outubro, o responsável militar sublinhou que a institucionalização do estabelecimento de ensino, como parte integrante da MGA, bem a construção infra-estruturas próprias  e condignas, traduz-se na materialização de um sonho acalentado por todos os marinheiros durante décadas. “A necessidade da sua existência faz-se sentir desde os primeiros dias da criação do Ramo”, ressaltou relativamente a transferência da Academia Naval de Luanda, para Benguela, o  Vice-almirante  Domingos Miranda explicou que as obras de reabilitação das futuras instalações da instituição na Ex-EPAM (Escola Prática de Administração Militar) decorrem a “bom ritmo”.

De acordo com o dirigente militar o início do novo Ano Académico 2021/2022 acontece ainda em Luanda, e deverá  ser concluído na província de Benguela. “ A transferência definitiva da Academia Naval ocorrerá no decurso do presente ano académico e todas as probabilidades de mudança apontam para o período de pausa inter-semestral”, ( segunda quinzena de Fevereiro), destacou .

Para o Vice-almirante Domingos Francisco Miranda, em Benguela, a instituição terá todas as condições materiais e humanas reunidas para implementar, faseadamente, os outros cursos que faltam, nomeadamente, o de Engenharia de Armas e Electrónica, Fuzileiros Navais, Administração Naval, ou ainda, outros que o Comando Superior indicar.

No quadro da acreditação dos cursos ministrados pela Academia Naval, o dirigente informou que uma delegação do Ministério do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia realizou uma visita de trabalho  a Academia Naval , onde constatou os resultados do trabalho aí desenvolvido , no âmbito da acreditação dos cursos.

Quanto à questão da desistência de alguns docentes colaboradores que não pretendem continuar na Academia em Benguela, o dirigente reconhece que aquela província é um dos grandes pólos culturais e académicos do país, por isso garante que não há grandes dificuldades em contratar docentes para suprir as eventuais lacunas que possam servir nesse sentido.

Por razões da pandemia da Covid-19, o início do ano académico na Academia Naval não aconteceu em Março como habitualmente, pois, actualmente, o sistema de ensino superior no país estabelece um novo calendário académico que determina o dia 01 de Outubro como data oficial para o arranque das aulas nas instituições de ensino superior.

O Vice-almirante deu a conhecer ainda que cerca de 25 cadetes finalistas viajam  em Outubro para Portugal, em estágio de longa duração, enquanto 32 finalistas que concluem estágios e monografias , aguardam a cerimónia de outorga de diplomas nos próximos dias.

Desde a sua fundação, a Academia Naval da MGA formou já um total de 102  quadros em Ciências Militares Navais.

Saiba mais
  • 28 Sep 2021
  • Comentarios
MARINHA DE GUERRA ANGOLANA OFICIALIZA PASSAGEM DE...

 

A Marinha de Guerra Angolana oficializou a passagem de cerca de 899 militares à Polícia Nacional, no dia 23 de Setembro de 2021, na Escola Nacional de Polícia de Protecção e Intervenção (Capolo 2), em Luanda, um acto que surge no âmbito do cumprimento da orientação do Presidente da República e Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Angolanas, sobre o enquadramento de elementos das FAA que tenha cumprido o Serviço Militar Obrigatório, na Polícia Nacional. 

 

A referida orientação estabelece que o enquadramento de cidadãos que tenham cumprido o Serviço Militar Obrigatório deverá ser célere e atender a necessidade do reforço da capacidade de intervenção da Corporação no combate a criminalidade.

Segundo o Chefe da Repartição de Efectivos da Marinha de Guerra Angolana, Capitão-de-Mar-e-Guerra Jaime Pinto, que chefiou a delegação daquele ramo das FAA, este processo teve início em 2020 e a sua interrupção resultou do surgimento da pandemia da Covid_19.

 

Após o processo de testes médicos, físicos e psicotécnicos a que os candidatos foram submetidos, o responsável revelou que, com excepção dos efectivos destacados na Região Naval Norte e no Comando Naval Cabinda, 899 militares estão apurados para ingressar nas fileiras da Polícia Nacional. 

 

“Tão logo a Polícia tenha condições preparadas, a comissão deslocará para a selecção. Neste momento, a Polícia Nacional recebe oficialmente o efectivo para o devido enquadramento”, garantiu.

 

Quanto à questão das constantes manifestações de efectivos desmobilizados, defronte ao Comando da MGA, protagonizadas por alguns militares que fazem parte deste processo, o Capitão-de-Mar-e-Guerra Jaime Pinto informou que foram razões de demora no processo de integração.

 

“Eles, desesperadamente, manifestavam-se junto do Comando da Marinha porque estavam na ansiedade de entrar logo para a Polícia”.

Por outro lado, o Superintendente Vicente Garcia “FBI”, um dos integrantes na comissão do processo de enquadramento de militares à Polícia Nacional, considerou ser um procedimento normal para as duas instituições e para o país “porque quando um elemento cumpre o Serviço Militar Obrigatório, alguns têm requisitos que interessam a Polícia Nacional e, desta forma, continua a servir o país”.

 

Garantiu, ainda, que a Polícia Nacional, não obstante à crise financeira e à pandemia que o país enfrenta, está preparada para receber os militares provenientes das Forças Armadas Angolanas.

Saiba mais
  • 24 Sep 2021
  • Comentarios
OFICIAIS DA MARINHA DE GUERRA ANGOLANA APRIMORAM C...

Um Grupo de oficiais Subalternos da Marinha de Guerra Angolana provenientes do Instituto Superior Técnico Militar (ISTM) iniciaram recentemente, no Instituto Superior da Marinha (ISMA), em Luanda, o VII Curso de Actualização em Matérias Navais.

O Comandante do Instituto Superior da Marinha (ISMA), Vice-almirante Jorge Fortes Gabriel, na abertura da cerimónia referiu  que a acção formativa é de “grande importância” visto que os oficiais auditores possuem uma sólida formação militar e técnica, voltada para a componente do Exército.

“Os participantes ao curso, doravante passam  a tomar contacto com a cultura e valores da Marinha de Guerra, bastante diferentes dos outros Ramos das Forças Armadas”, sublinhou.

Serão ministrados conhecimentos ligados  a cultura náutica, com destaque para a navegação, construção do navio, táctica naval e de infantaria naval, luta pela vitalidade do navio, regulamento do navio, preparação combativa na Marinha de Guerra, história da arte naval, direito do mar e direito marítimo para além de outras para oficiais do Ramo.

“Em cada curso, tratamos de introduzir melhorias com alterações pontuais baseadas nas experiências acumuladas nos cursos anteriores”, disse o responsável militar.

Acrescentou que os participantes estarão habilitados para o cumprimento de tarefas nos Postos de Comando, nos Estados-Maiores e nas Unidades do Ramo.

Nesse processo de formação, o Vice-almirante Jorge Fortes Gabriel disse que o ISMA contará com o apoio de outras unidades e serviços, com destaque para a Esquadra Naval Operacional, Base Naval, Unidade de Apoio e outras. “Trataremos com a antecedência devida, para colmatar algumas deficiências registadas no curso anterior onde os apoios nem sempre estiveram à altura das necessidades e, para tal, faremos o devido apelo às estruturas competentes”,  ressaltou .

Entre os discentes para a formação, o ISMA conta com oficiais nas especialidades de medicina, comunicações, inteligência, engenharia e informática, provenientes de várias unidades e órgãos num total de 12, tendo em conta a capacidade de absorção da instituição.

O “desenho” curricular para o presente curso, segundo o dirigente, sofreu algumas alterações e cumpre com os objectivos traçados.

“As necessidades e dificuldades são as mesmas tal como é o espírito de missão e a vontade férrea de contribuir na formação contínua de quadros, concretizando o objectivo para que foi criado o ISMA”, sublinhou o Comandante da instituição.

O curso terá uma carga horária de 204 horas lectivas entre aulas teóricas, aulas práticas e exercícios para além do tempo destinado à preparação independente sob orientação de docentes.

O Instituto Superior da Marinha “ISMA” é o estabelecimento de mais elevado nível de ensino militar superior da Marinha de Guerra Angolana e tem como missão ministrar aos oficiais do Quadro Permanente do Ramo a formação nos planos científico, doutrinário e técnico das ciências militares necessária ao desempenho das funções de Comando, Chefia e Estado-Maior ao nível da MGA, do Estado-Maior General das FAA, em forças conjuntas e combinadasUm Grupo de oficiais Subalternos da Marinha de Guerra Angolana provenientes do Instituto Superior Técnico Militar (ISTM) iniciaram recentemente, no Instituto Superior da Marinha (ISMA), em Luanda, o VII Curso de Actualização em Matérias Navais.

O Comandante do Instituto Superior da Marinha (ISMA), Vice-almirante Jorge Fortes Gabriel, na abertura da cerimónia referiu  que a acção formativa é de “grande importância” visto que os oficiais auditores possuem uma sólida formação militar e técnica, voltada para a componente do Exército.

“Os participantes ao curso, doravante passam  a tomar contacto com a cultura e valores da Marinha de Guerra, bastante diferentes dos outros Ramos das Forças Armadas”, sublinhou.

Serão ministrados conhecimentos ligados  a cultura náutica, com destaque para a navegação, construção do navio, táctica naval e de infantaria naval, luta pela vitalidade do navio, regulamento do navio, preparação combativa na Marinha de Guerra, história da arte naval, direito do mar e direito marítimo para além de outras para oficiais do Ramo.

“Em cada curso, tratamos de introduzir melhorias com alterações pontuais baseadas nas experiências acumuladas nos cursos anteriores”, disse o responsável militar.

Acrescentou que os participantes estarão habilitados para o cumprimento de tarefas nos Postos de Comando, nos Estados-Maiores e nas Unidades do Ramo.

Nesse processo de formação, o Vice-almirante Jorge Fortes Gabriel disse que o ISMA contará com o apoio de outras unidades e serviços, com destaque para a Esquadra Naval Operacional, Base Naval, Unidade de Apoio e outras. “Trataremos com a antecedência devida, para colmatar algumas deficiências registadas no curso anterior onde os apoios nem sempre estiveram à altura das necessidades e, para tal, faremos o devido apelo às estruturas competentes”,  ressaltou .

Entre os discentes para a formação, o ISMA conta com oficiais nas especialidades de medicina, comunicações, inteligência, engenharia e informática, provenientes de várias unidades e órgãos num total de 12, tendo em conta a capacidade de absorção da instituição.

O “desenho” curricular para o presente curso, segundo o dirigente, sofreu algumas alterações e cumpre com os objectivos traçados.

“As necessidades e dificuldades são as mesmas tal como é o espírito de missão e a vontade férrea de contribuir na formação contínua de quadros, concretizando o objectivo para que foi criado o ISMA”, sublinhou o Comandante da instituição.

O curso terá uma carga horária de 204 horas lectivas entre aulas teóricas, aulas práticas e exercícios para além do tempo destinado à preparação independente sob orientação de docentes.

O Instituto Superior da Marinha “ISMA” é o estabelecimento de mais elevado nível de ensino militar superior da Marinha de Guerra Angolana e tem como missão ministrar aos oficiais do Quadro Permanente do Ramo a formação nos planos científico, doutrinário e técnico das ciências militares necessária ao desempenho das funções de Comando, Chefia e Estado-Maior ao nível da MGA, do Estado-Maior General das FAA, em forças conjuntas e combinadas e em organizações internacionais.

No ISMA são ministrados os Cursos de Promoção a Oficial Superior (CPOS), Curso de Comando e Estado-Maior (CCEM) e cursos sobre orientação superior.

Assistiram ao evento oficiais discentes, docentes, consultores e convidados. e em organizações internacionais.

No ISMA são ministrados os Cursos de Promoção a Oficial Superior (CPOS), Curso de Comando e Estado-Maior (CCEM) e cursos sobre orientação superior.

Assistiram ao evento oficiais discentes, docentes, consultores e convidados.

Saiba mais
  • 16 Sep 2021
  • Comentarios
MARINHEIROS ESPANHÓIS VISITAM MUSEU DE HISTÓRIA MI...

Cerca de 26 militares da Marinha de Guerra Espanhola visitaram no passado sábado 11 de setembro, o Museu de História Militar em Luanda, numa visita guiada pelo major Felismino Bonfim, os espanhóis puderam conhecer as instalações da Fortaleza de São Miguel, Museu de história militar de Angola.

A comitiva foi composta por 26 marinheiros, entre Oficiais, Sargentos e Praças, e durou cerca de uma hora .

Na Ocasião, Capitão-de-Corveta Javier Garcia Mancc, Comandante do navio debruçou-se sobre  a importância da protecção do mar mediterrâneo e de África. 

O navio visitou nosso solo pátrio durante cerca de sete dias, deixou Angola com destino ao seu país de origem na manhã de domingo 12 de Setembro 2021.

Saiba mais
REVISTA MARINHA

A Revista Militar, órgão do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas, acaba de sair com um número especial dedicado ao 20º aniversário das FAA, comemorado no dia 9. A revista, ausente das bancas há vários meses, tem uma entrevista ao general Sousa e Santos “Disciplina”, chefe adjunto do Estado-Maior General para a Educação Patriótica.

Militares em Destaques